Sandobox Gameplay parte 4: Faça você mesmo


Nos outros artigos eu mostrei do que se trata o sandbox e também algumas das ferramentas utilizadas para criar uma campanha. Este post é mais uma série de idéias e conselhos de como fazer funcionar uma campanha sandbox para um jogo de fantasia medieval.

A princípio qualquer jogo pode ser usado para sandbox, porém eu acho mais interessante jogos low/dark fantasy que tenham uma certa ênfase nos perigos de se aventurar no meio ambiente. Isto porque, como a campanha não é story driven grande parte da graça está em explorar o mapa e testar até onde os PJs conseguem ir sem morrer e ainda sobrar recursos para a volta e isto não teria graça nenhuma se o grupo simplesmente teletransportasse para os lugares e de volta para lugares seguros.

Alguns RPGs que eu recomendo são Shadows of Esteren, The One Ring, Witch Hunter, Cthulhu Dark Ages, BRP, Runequest 2, Yggdrasill e Warhammer Fantasy. Dependendo do RPG você vai precisar fazer algumas modificações como limitar ou proibir certas magias. A Campanha pode ser baseada em um mundo, região, continente, dungeon, cidade, etc e nem mesmo precisa ser de fantasia. Você pode criar facilmente uma cidade sandbox para Vampiro a Máscara, para um Cyberpunk, uma galáxia sandbox para space opera, etc.

Vamos lá. Este exemplo de campanha é baseado em uma enorme região inexplorada:

SOCIAL

- Os jogadores devem criar um blog/forum/grupo no facebook/whatsapp e durante a semana discutir o que pretendem fazer, qual região explorar, etc e informar o mestre para que ele tenha tempo de aprontar algumas coisas com mais detalhes. O mestre tem o poder de vetar esta idéia e solicitar outra se ele achar que não haverá tempo para preparar o material ou qualquer outro motivo. Com o tempo o mundo vai sendo construído e o trabalho do mestre diminui muito.

BASE DE OPERAÇÕES


- É importante que haja um local completamente seguro para os PJs descansarem, curar as feridas, rezar, etc. Para uma região pode ser a última cidade da civilização, um forte ou posto avançado, um templo fortificado, etc. Tudo vai depender do tipo de recursos que você quer que os PJs tenham acesso. Se for uma cidade é interessante que eles criem um local de encontro para fazer os próximos planos. O lugar pode ser uma taverna, templo, armazem, etc. Eles devem pensar também em como guardar os tesouros de forma segura.

MORTALIDADE


- Logo de início você deve informar OS PJs que a mortalidade do jogo tende a ser alta e explicar como a campanha funciona. Você deve também criar uma regra caseira do que vai acontecer quando personagens morrerem (e eles vão). Na história chegará um PJ novo na cidade para se juntar ao grupo? Você já terá alguns NPCs participando da campanha prontos para substituir um PJ falecido? Você pode inclusive pedir para os jogadores criarem dois ou três PJs para habitarem a cidade e servirem de suplentes, mesmo em caso de um PJ gravemente ferido.

- Quanto a mecânica, quando um PJ morre o jogador cria outro no 1º nível? ganha um bônus XP para construir o novo PJ? Começa com metade do nível do PJ antigo? E os equipamentos? Os colegas ficam com os tesouros e equipamentos do morto ou o novo PJ herda tudo?

MAPA




- O mapa da região deve ser bem detalhado e dividido em sub regiões. É interessante fazer com que as sub regiões fiquem mais perigosas a medida que se afasta da base de operações. Com o tempo os PJs podem construir postos avançados em determinados locais para economizar viagens, mas para isso eles devem contratar mão de obra, gerenciar recursos como madeira e uma pedreira, lidar com intercorrências como ataques e invasões e depois pagar para a manutenção do local, empregados, guardas, etc.

- Crie as tabelas de encontros aleatórios para cada sub região, se possível dividido entre noite e dia. Com o tempo os jogadores começam a conhecer a região e evitar certos lugares à noite, ou caçar certas criaturas em períodos, estações do ano, etc específicos.

- Coloque bolsões de perigo e tesouros bem guardados. Mesmo que o grupo consiga entrar em regiões e explorar boa parte, eles acabarão encontrando desafios além dos seus recursos, fazendo com que fiquem curiosos e retornem várias vezes com mais equipamentos, níveis, etc.

DUNGEONS


- Se você for usar dungeons, espalhe-as entre conhecidas, lendárias e desconhecidas. As conhecidas os PJs podem saber da existência e localização através de boatos, mapas e informações compradas, as lendárias são vagos rumores com localização aproximada e que podem ser totalmente diferentes do que os PJs ouviram e as desconhecidas são as dungeons secretas que os PJs só poderão descobrir depois de muita exploração, pesquisa, etc.

- As dungeons também deverão ter bolsões de perigo, salas mortais e câmaras do tesouro completamente seladas que para serem abertas farão os PJs retornarem muitas vezes com ferramentas, pesquisa, magia, um especialista, etc.

- Tanto as regiões como as dungeons devem ser dinâmicas. Quando os PJs matarem todos os goblins de uma dungeon, depois de algum tempo ela pode ser infestada por aranhas, ou ocupada por beastmen. As criaturas de uma região podem entrar em guerra, serem extintas, escravizadas, etc. Assim o grupo nunca sabe realmente o que irá encontrar quando retornarem em um lugar já visitado após um ano.

O PERIGO DO MEIO AMBIENTE


- Se o sistema que você está usando gerencia bem os perigos das viagens ao ar livre, você apenas precisa utiliza-lo, mas você deve exigir dos jogadores que cumpram à risca as regras de capacidade de carga, fadiga, frio e calor excessivo, taxa de movimentação, etc. Você também deve atentar para as estações do ano, o clima, a fome, sede, doenças, etc. Quando mais duro for o ambiente melhor. Grande parte do sucesso deste tipo de campanha deve-se ao risco da exploração, à dificuldade de carregar o tesouro na volta, necessidade de encontrar ervas no mato para curar uma doença, etc. Deixe claro para os jogadores que eles podem morrer mesmo antes de chegar ao destino da viagem.

- Os jogadores se esforçarão para criar um grupo com habilidades variadas e não voltadas apenas para o combate, pois eles precisarão de um caçador, um curandeiro, um vigia, etc. O RPG The One Ring the um ótimo sistema de viagens. Se o sistema que você está usando não for forte neste ponto, você pode adaptar regras caseiras, pontos de movimentação, fadiga, etc, ou conhecer as regras de outro sistema para adapta-las.

Bom essas são as dicas, cada grupo que tentar jogar uma campanha sandbox, terá que se adaptar aos problemas que forem surgindo para que a campanha dure.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sistemas de RPG parte 1: Dados

Sistemas de RPG parte 3 - Evolução dos personagens

Sala de jogos pronta e Mesa de jogos